Revista Sinuosa

Hiato e Dibuk

O tempo da Sinuosa foi bom mas eu, Daniel e Enaiê acabamos ficando sem tempo, fomos cada um fazer coisas diferentes. Um dia, quem sabe, voltemos com o projeto. Por … Continuar lendo

21 de dezembro de 2014 · Deixe um comentário

Sobre poetas que migram: Rumen Stoyanov

A figura literária do imigrante ou do exilado é uma constante em várias partes do mundo, e praticamente sempre constitui interessante objeto de análise. São figuras que carregam qualquer coisa … Continuar lendo

26 de abril de 2013 · 1 comentário

Flores para Hitler

Leonard Norman Cohen é famoso. Mundialmente famoso, eu diria. Por conta de sua música – transitando entre o rock, o pop e o folk, indo de uma lírica sublime até … Continuar lendo

24 de abril de 2013 · Deixe um comentário

Djurgården, vista para Södermalm

Mais um poeminha autoral, desta vez do ano de 2012. Esqueçamos o pôr-do-sol deitados no escuro nus sobre a grama úmida nu como o pôr-do-sol da meia-noite sobre a textura … Continuar lendo

3 de abril de 2013 · Deixe um comentário

Cabeça de Homem sobre Tinta Verde

Cabeça de Homem sobre Tinta Verde Para “O Camponês”, de Cezanne) Contemplo a tela fracionada sombras resgatam a textura aquarelada de um rosto. As sombras inclinam-se para a luz, preservam a … Continuar lendo

31 de março de 2013 · Deixe um comentário

Uma saia com todas as flores do mundo: os versos de Bronisława Wajs

Os roma são um povo mais conhecido pelos motivos errados do que pelos certos. Popularmente chamados de ‘ciganos’ em língua portuguesa, termo que, no dicionário, carrega, também, o sentido de … Continuar lendo

13 de março de 2013 · 2 Comentários

Voyage

Autoria: verbete de dicionário cujo valor é associado a um outro, ainda mais assustador: responsabilidade. Talvez eu não goste, talvez eu até mesmo não entenda. Por isso é raro eu … Continuar lendo

12 de janeiro de 2013 · Deixe um comentário

viagens longas demais, poema de pierre reverdy

Em função de nosso evento de preparação para publicação da Revista Sinuosa, apresento aqui um texto traduzido de Pierre Reverdy (1889-1960), poeta francês cuja obra era semelhante à estética surrealista. … Continuar lendo

11 de janeiro de 2013 · Deixe um comentário

A máscara e a morte: a pintura anárquica de James Ensor

Será a carnavalização, ou a inversão de papéis, uma construção realizável de anarquia? A pergunta me persegue quando reflito sobre a obra A Entrada de Cristo em Bruxelas em 1889, … Continuar lendo

20 de dezembro de 2012 · Deixe um comentário

Yona Wallach: sexo e filactérios na Terra Santa

Yona Wallach nasceu em Tel Aviv, em 1944. Ainda antes do Estado de Israel exisitr, enquanto aquela área era o Mandado Britânico da Palestina. Nessa Tel Aviv que, em sua … Continuar lendo

10 de dezembro de 2012 · Deixe um comentário